• 13
    Dez
    2016
    às 17:22
  • Postado por
    Ricardo
  • Categoria
    conheça a as4

Há vida fora do ambiente digital?


"Olha, não sei se vale investir em comunicação digital, a maior parte da população daqui nem usa a internet mesmo". Ouvi essa frase de um pré-candidato a prefeito de uma cidade com pouco mais de 500 mil habitantes. O que o levou a essa conclusão foi o fato de que, segundo ele — por achismo — estar na internet é caro e que não é algo tão comum para periferia ou núcleo rural, duas regiões muito grandes na cidade em questão.

Os números variam de acordo com as fontes mas sempre que falam de população conectada indicam entre 115 e 105 milhões de brasileiros, ou seja, pouco mais da metade dos brasileiros estariam conectados. Mas será que esse é o grande número a ser debatido nessa conversa? Durante os estudos para montar o planejamento da possível candidatura fiz o que costumo fazer sempre: fui pra rua. Fui conversar com as pessoas. Um papo em especial me marcou, e, acreditem, ele foi meio que um mínimo denominador comum dessas entrevistas.

— O senhor usa a internet?

— Não, não uso.

— Nunca?

— Não, pra nadinha não.

— Mas esse celular é um smartphone, ele acessa a internet.

— É, mas não uso não. Eu ligo e uso muito o zap.

— O WhatsApp? Mas não usa a internet?

— Não senhor, não uso. Só o zap mesmo.

Perceberam? Para milhares de pessoas que acordam e antes de dar um beijo de bom dia a pessoa ao seu lado olham os grupos do WhatsApp isso não é internet, ou melhor, não é exatamente estar on line. São milhões de brasileiros pendurados nos celulares, trocando imagens, vídeos e áudios. Rindo com todo tipo de bobagem, compartilhando denúncias (nem sempre reais), dividindo epifanias ou simplesmente espalhando as famigeradas imagens com mensagens motivacionais. Ah, e os bom dias, claro.

E muitos deles acham que não estão na web.

Por outro lado recentemente escutei um especialista em comunicação digital comentando "o WhatsApp é a prova de que o Facebook ainda não conseguiu se tornar aquilo que está furiosamente atuando para se tornar: a internet dentro da internet!". Eu não quis dizer nada na hora mas, puxa, cara, o WhatsApp é do Facebook!!!!! O Facebook não está apenas se tornando a internet dentro da internet, entrando em todas as áreas, concorrendo com Snapchat, lançando produtos voltado para empresas para concorrer com o LinkedIn e até mesmo investindo em áreas para gamers… o Facebook está se tornando a internet até "fora" da internet, por meio do WhatsApp.

Deixa dizer uma coisa pra vocês, algo que talvez deva acender uma luz vermelha. Usando inteligência de mineração da dados e coletando as infos que circulam no teu WhatsApp, a princípio, poderia-se prever quem será sua próxima paixão antes mesmo de vocês saber. Impossível? Não, não é. Basta avaliar seus hábitos, como suas relações se desenrolam e encontrar padrões de palavras que indiquem que determinada pessoa pode vir a se tornar seu próximo amor. Mas, bom, o objetivo do texto não é discutir isso. Vamos voltar ao que interessa.

A questão importante é: ainda é possível separar o on line do off line? Eu costumo usar o termo on life, porque defendo que não, não é possível. Em maio desse ano já eram 168 milhões de smarphones em uso no Brasil.

A fórmula "smartphone e conexão mobile mais acessíveis mais uma rede de uso muito simples onde todos seus amigos estão presentes" talvez seja a tempestade perfeita para o maior processo de inclusão digital jamais previsto.

CEOs usam grupos no WhatsApp pra se comunicar com suas diretorias.

Os porteiros do seu edifício participam de vários grupos, do que reune a turma do boteco até o que reune a turma da igreja.

Sua mãe usa o grupo da família pra saber onde você está. Sua vó para enviar aquela mensagem motivacional ornada com a imagem de um anjo.

O tio do pavê manda piadas ruins para todos os grupos que pode. E algumas boas.

As conversar começam no Tinder mas ao evoluirem vão para o WhatsApp.

Boatos, muitos deles perigosos, se multiplicam entre grupos diversos, alimentados pela "impossibilidade" de navegar para checar as fontes.

Deliverys aceitam pedidos pelo WhatsApp, grandes marcas já a usam para SAC.

Políticos usam para "falar" com eleitores.

Contratos são fechados, vendas são realizadas, encontros são marcados, relacionamentos começam e terminam. Um universo tão inclusivo que podemos encontrar grupos voltados para pessoas analfabetas ou analfabetas funcionais, onde a ordem é "proibido enviar texto".

Tudo na palma da mão, de forma tão simples, tão acessível que para muitos nem é internet. Usam, muitas vezes sem freio, alheios ao fato de que boa parte daquele conteúdo nasceu — ou também está circulando — em outras redes.

O que estou tentando dizer, e espero estar conseguindo, é que nossa vida já é tão digital que nem conseguimos mais determinar fronteiras. Se há 10 anos era estranho comprar um tênis ou um sapato sem experimentar hoje já não parece fazer sentido ir até uma sapataria. Abrimos conta em banco sem ir ao banco. Pedimos comida sem falar com ninguém. Somos estimulados a isso, a sermos mais e mais digitais, de forma com que as marcas economizem com processos obtusos e eliminem outros custos sem sentido. E nem vou entrar naquela máxima Uber/Amazon/AirBNB/AliExpress, é tão óbvio.

Então, amigo, esquece isso de "quem está on line". Não faz mais sentido. Sua comunicação, sua presença, sua atuação precisa ser integrada, precisa ser como seu consumidor é, precisa ser on life. Não por uma questão de público, por uma questão de sobrevivência.

É aprender a usar todos esses novos cenários em seu favor ou aceitar que pode estar com os dias contados.

Por: Eden Wiedemann

Fonte:linkedin/pulse.com

  • 13
    Dez
    2016
    às 11:37
  • Postado por
    Ricardo
  • Categoria
    conheça a as4

Sistema de Automação Comercial


Gostaríamos de falar sobre documentos fiscais eletrônicos. A automação comercial está mudando:
*Sai emissor Gratuito da NF-e (Nota Fiscal Eletrônica).*Entra sistema próprio (Sistema de Automação Comercial) que lhe proporciona a mais ampla gestão para pequenas empresas do comércio. O emissor Gratuito da NF-e está sem suporte desde o início deste ano e não será mais atualizado e saíra do ar ainda este ano. A AS4 está preparada para está transição e o nosso sistema de Automação Comercial é completa
Dispõe da construção de uma infraestrutura que administra todo fluxo de informações com acesso rápido e objetivo que otimizam e simplificam as operações e os processos de integrações entre os departamentos.

Permite aos executivos gerenciarem suas empresas em todas as atividades críticas servindo como um facilitador das operações diárias e principalmente disponibilizando informações importantes que servem para tomada de decisões e reduções de custos.

Sistema de Automação Completo: Vendas, Compras, Faturamento, Finanças, Controle de Estoque, Nfe, entre outras diversas funcionalidades.

Software completo, oferecemos aos nossos clientes facilidade, Agilidade, Eficiência, Credibilidade e Segurança.

A AS4 atua a seis anos no mercado proporcionando soluções práticas para o seu negócio. Oferecemos suporte on line por chat, e-mail e telefone.

Contate a nossa empresa e solicite um orçamento sem compromisso

ALPHA SOLUTIONS FOUR BRAZIL
(11)2359-1570

  • 12
    Dez
    2016
    às 17:40
  • Postado por
    Ricardo
  • Categoria
    conheça a as4

5 dicas para comprar produtos pela internet com segurança


Comprar pela internet é muito prático, não é mesmo? É só procurar o produto, pesquisar o preço, fazer a compra e esperar chegar na sua casa. E sem falar que é uma boa opção para quem não quer enfrentar as filas das compras de Natal!

Mas é importante ter alguns cuidados para não cair em ciladas e acabar comprando em sites falsos. Pensando nisso, eu separei algumas dicas para ajudar a identificar o que é fraude na hora de fazer sua compra pela internet:

1-Cuidado com SPAM
Gente, tem que sempre desconfiar de links e e-mails com SPAM enviados por pessoas que você não conhece, porque eles podem ter algum tipo de vírus ou te levar para algum site falso. Por isso, se você achar que tem alguma coisa errada, não clique no link, tá?
Se você recebeu um e-mail com desconto, mas está em dúvida, coloque a setinha do mouse em cima do dele, sem clicar, e veja na barra para qual endereço o site quer te direcionar. Se for algo estranho e não um domínio oficial delete o e-mail.

2- Analise o site
Se você está entrando no site de alguma loja pela primeira vez é bom dar uma analisada na página: a dica é navegar nele para ter certeza de que todas as páginas abrem e funcionam direitinho.
Também é bom procurar a identificação do site e de todos os fornecedores envolvidos na sua compra virtual, por exemplo: dê uma olhadinha na razão social, CNPJ, se a loja tem endereço físico e eletrônico, telefone fixo e outras formas de contato além do e-mail.

3- Redes sociais
Veja sempre se o site tem outros canais oficiais, como chats e redes sociais, além de conseguir entrar em contato com a marca, você consegue ver o que os outros consumidores estão comentando e até perguntar para eles como foi a experiência de compra!

4- Segurança
Você já reparou que alguns sites tem um cadeado verde do lado da URL ou então uma letra S no link, logo depois do “http”? Isso significa que o site é seguro e certificado! Por isso, sempre que estiver em uma página que precisa colocar os seus dados pessoais e número do seu cartão de crédito, dê uma olhadinha para ver se o site é seguro mesmo, tá?


5-Antivírus
Por último, não se esqueça de instalar um antivírus no seu computador, smartphone ou tablet e manter ele sempre atualizado! Além de proteger de vírus, muitos antivírus avisam quando um site não é confiável.

Agora você já sabe como fazer compras online de forma segura!

Fonte:olhardigital.com.br


Promocional empresa de criação de site

JuceSP as4
as4 parceira Google
Desde 2011 • CNPJ 17.108.974/0001-96 - A as4 é uma marca em processo de liberação pelo INPI desde 2012.
as4 - Alpha Solutions Four Brazil LTDA EPP
+as4